Os melhores bares para curtir a happy hour em Belo Horizonte

Os melhores bares para curtir a happy hour em Belo Horizonte

Cabernet Butiquim: eleita a melhor happy hour pelo júri
Quem acha que vinho não combina com happy hour precisa dar um pulo na Rua Levindo Lopes por volta das 18 horas. É quando a unidade mais antiga do Cabernet Butiquim começa a funcionar e espalha suas mesas pela calçada até a entrada da filial, dois imóveis adiante, inaugurada em outubro do ano passado. Enquanto papeia e comemora o fim do expediente, a clientela partilha vinhos como o pinot noir chileno Ventisquero Reserva Casablanca (R$ 82,00) e o chardonnay americano Chateau Ste. Michelle (R$ 119,00). Com mais de 150 rótulos na adega, a casa também oferece opções em taça, diferentes a cada semana — uma delas pode ser o branco português Quinta de Bons-Ventos (R$ 15,00). Fica a dica: compradas para viagem, as garrafas têm até 15% de desconto. Comandada pela chef Jana Barrozo, a cozinha prepara acepipes caprichados, entre eles as almôndegas mergulhadas em molho de tomate fresco e queijo gratinado (R$ 39,00) e a panelinha com carne de costela e nhoque frito (R$ 46,00). Para quem não abre mão de um bom queijo para harmonizar com vinho, há treze variações do produto, do provolone Pancettine dolce (R$ 14,90 cada 100 gramas) ao gorgonzola D.O.P. Erborin (R$ 24,90 cada 100 gramas). No desfecho da noite, fazem sucesso tentações como a musse de doce de leite com caramelo salgado (R$ 14,00).

Rua Levindo Lopes, 22, Funcionários,
☎ 3889-8799 (40 lugares). 11h30/0h (dom. até 16h; fecha seg.);
Rua Levindo Lopes, 12, Funcionários (62 lugares).
18h/0h (sáb. a partir das 11h30; dom. até 16h; fecha seg.). Aberto em 2015.


2º lugar: Benfeitoria
O espaço colaborativo promove shows, exposições e performances artísticas, atraindo um público descolado. No quesito gastronomia, fazem sucesso as pizzas retangulares, como a de calabresa com cebola-roxa e damasco (R$ 26,00). Veganos podem optar pelo bolinho de jaca, com molho à base de tomate e especiarias (R$ 23,00, cinco unidades). Para beber, o clericot é servido na jarra (R$ 44,00) ou na caneca (R$ 15,00). 

Rua Sapucaí, 153, Floresta,
☎ 3504-7624 (160 lugares). 9h/19h (qua. a sex. até 0h; sáb. 19h/1h; fecha dom.). Aberto em 2014.


3º lugar: Café com Letras
Misto de bar, café e livraria, abriga exposições e apresentações de DJs e de jazz. Por ali, a clientela gosta de bebericar vinhos, como o chileno Canepa Novísimo Carménère (R$ 16,00 a taça) e o espanhol Toro Loco Tempranillo (R$ 65,00). Do menu, a sugestão é o risoto de aspargos e manteiga de sálvia com camarão flambado na cachaça (R$ 58,00). Durante a tarde, o café coado na Hario V60 (R$ 7,90), feito com blend próprio, pode ganhar a companhia do novo bolo vegano de chocolate com coulis de frutas vermelhas (R$ 10,00 a fatia). A unidade instalada no CCBB tem cardápio idêntico. 

Rua Antônio de Albuquerque, 781, Savassi,
☎ 3225-9973 (160 lugares). 12h/23h30 (qui. até 0h; sex. e sáb. até 1h; dom. 10h/23h); Praça da Liberdade, 450 (CCBB), Funcionários,
☎ 3267-9929 (110 lugares).
10h/21h (fecha ter.). Couvert art.: R$ 3,50 a R$ 12,50. Aberto em 1996.

Deixe uma resposta

Fechar Menu